Compulsão alimentar: sintomas e como tratar

02-compulsao_alimentar

Comer, beber, transar, comprar, malhar… Muitos verbos nos remetem às compulsões mais comuns e presentes no cotidiano de  muitas  pessoas. Veremos a compulsão como uma forma de comportamento repetitivo e atrelado a um “jeito de lidar” com situações angustiantes do indivíduo ligadas aos conflitos psicológicos, aos quais são aliviados pelo ato compulsivo.

O mecanismo de descarga da angústia via compulsão, que a princípio proporciona alívio, é o mesmo para questões ligadas ao sexo, à prática de exercícios etc. Mas daremos foco na compulsão alimentar que geralmente está a serviço de uma compensação de prazer ou satisfação de algo que deveria estar acontecendo na vida ou nas relações, mas não está. Com isso entram docinhos, repetidas refeições, assaltos à geladeira etc… É comum a pessoa só conseguir parar de comer quando acabam as porções ou porque realmente não aguenta mais. Então ela sabe que tem um problema, quer parar de comer de forma descontrolada, mas não consegue, até se propõe a comer menos, mas também não consegue, quando se dá conta já comeu o que podia e o que não podia. Depois de comer muito, se depara com a ressaca moral ligada a uma sensação de culpa e de intenso fracasso.

Temos aqui, neste exemplo, a marca da compulsão, que é o desejo de parar impedido por algo mais forte: a falta de controle sobre o agir.

Soma-se à busca de alívio da angústia psicológica descarregada no ato de comer à angústia circunstancial de estar fora do peso, de ter problemas de saúde, de se expor pelo exagero da comilança, e até pela vergonha da própria inadequação do ato.

Costuma-se ter ansiedade presente nestes quadros e outros problemas consequentes na saúde, o que implicam na necessidade de um tratamento psicológico e de outros profissionais.

O tratamento psicológico irá buscar quais as reais causas do descontrole, adequando o desejo à necessidade do indivíduo, assim como promovendo uma autocensura sem maiores repressões, podendo também lidar com os conflitos dos pensamentos decorrentes da ressaca moral por ter comido demais. Sim! Ressaca moral, o que não acontece nas dependências, mas sobre esse assunto falarei num outro momento…

Deixe seu comentário