manipulação2
manipulação2manipulação2manipulação2Quem nunca sentiu que foi seduzido a fazer algo que na verdade não queria e então percebeu tarde demais para voltar atrás?… 
É aquela situação que se diz popularmente: “quando me dei conta já estava lá!” ou “já estava fazendo tal coisa…”
Mas o pior é cair neste jogo repetidas vezes por pessoas de convivência muito próxima, como parceiro afetivo, alguém da família, do trabalho ou mesmo grande amigo (a).
Vamos falar de manipulação, ou seja, de uma relação do tipo vilão x refém, – o refém na verdade é uma vítima, mas pode ficar exposto com a fama do vilão. Sim, isso acontece!
Pessoas manipuladoras têm uma facilidade incrível de deixar os outros em situações constrangedoras, expostas, sem saída e até com medo.
Focando nas relações de casais, essa dinâmica é muito difícil de ser rompida, até porque envolve muita sedução e dependência emocional.
Acontece de chegar no consultório aquele que é manipulado, sofrendo e muito confuso sobre o amor e sobre o inferno que sua relação se tornou e, claro, já sem forças para mudar a situação, então procurando ajuda na psicoterapia. O manipulador consegue deixar o outro em situações difíceis de reverter e até de argumentar, provoca uma situação ruim e vira o jogo a seu favor, com palavras e até mesmo com ações, porém estas não se sustentam. Mentiras são constantes nestas relações e algumas das emoções mais comuns por parte de quem é manipulado são raiva, medo e tristeza…
Então como sair dessa? Primeiro perceba o que você sente quando seu parceiro(a) arma uma situação ou mente pra você – preste atenção na situação posta e em como você tende a se comportar, com foco em você e nas possíveis consequências da situação para o seu bem estar e/ou para relações suas com outras pessoas.
Então siga sua intuição sobre o que é melhor para você e sua saúde, mesmo que isso cause desapontamento no seu parceiro(a). Por mais que você ache que vocês se amam, fique atento(a) porque depois de brigas e mentiras vem as promessas a até presentes… Cuidado, pois isso pode fazer parte o jogo que o manipulador faz te seduzindo para em breve você ser pego novamente e sentir todo aquele turbilhão de emoções onde seus amigos e/ou família não aguentam mais te ver sofrer.
Por fim, vale salientar que um manipulador dificilmente muda, a não ser que perceba de fato os efeitos de suas ações e esteja disposto a uma mudança em longo prazo, preferencialmente acompanhada por um terapeuta, já que também não é fácil para ele deixar de praticar seu poder de persuasão e abandonar os “joguinhos” que esteve habituado a fazer com as pessoas de seu convívio. Mas cabe a ele a decisão de mudar!
E você, se estiver no papel de vítima, faça um esforço para se enxergar na relação de uma forma mais crua, para não se iludir, por mais que ele(a) prometa mudanças ou melhoras, mesmo com o amor que diz sentir por você. Então ame-se e preserve-se em primeiro lugar. Busque ajuda e apoio para facilitar o processo!